Exames de ressonância indicam o funcionamento das redes cerebrais associadas à criatividade

 Em Destaques na Saúde

De acordo com pesquisa publicada em janeiro pela revistaScientific Reportsemoções fortes podem alterar o funcionamento das redes cerebrais associadas à criatividade.

Para o novo estudo, pianistas de jazz foram colocados dentro de uma máquina de escaneamento do cérebro com um pequeno teclado, e lhes foi pedido que improvisassem uma melodia para expressar ou uma emoção positiva e outra uma negativa.

Os exames de ressonância magnética revelaram que a desativação do CPFDL – córtex pré-frontal dorsolateral – foi significativamente maior quando os músicos estavam tentando transmitir uma emoção positiva em suas improvisações. Isso sugere que esse entorpecimento do CPFDL pode ser responsável pela capacidade do artista de entrar em um “estado de fluxo” de profunda absorção e criatividade.

Fonte:Brasil Post

Crédito de imagem:Banco de Imagens Pixabay

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes