Impressão “cerebral” é mais segura que digital

 Em Destaques na Saúde

Um estudo sobre dislexia levou a uma descoberta inesperada relacionada à segurança e identidade biométrica. Por meio de “brainprints”, ou impressões cerebrais, cientistas acreditam que será possível substituir as impressões digitais e senhas.

De acordo com Sarah Laszlo, neurocientista da Universidade de Binghamton, o método de impressões cerebrais permite identificar um indivíduo com 100% de precisão.

O estudo registrou a atividade cerebral de 50 pessoas por meio de Eletroencefalograma (EEG). Aos participantes foram mostradas uma série de imagens estimulantes e suas reações cerebrais permitiram que os cientistas identificassem cada um de modo único.

Por conta da complexidade e do custo para a leitura das impressões, os pesquisadores acreditam que o método seja usadoem locais físicos de alta segurança, como o Pentágono.

Ler matéria completa

Fonte:Newsweek

Crédito de imagem:Newsweek

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes