Paciente do sexo feminino com suspeita de tumor de fossa posterior

 Em Estudo de caso

Resumo:

Paciente com sintomas cerebelares e alteração tomográfica da fossa posterior, veio para complementação de ressonância magnética. (Clique nas imagens para expandir)

 

AXI CONTRASTE - caso em destaque Telelaudo

AXI CONTRASTE

AXIAL FLAIR caso em destaque Telelaudo

AXIAL FLAIR

COR CONTRASTE - caso em destaque Telelaudo

COR CONTRASTE

COR T2 CLEAR - caso em destaque Telelaudo

COR T2 CLEAR

SAG T1 - caso em destaque Telelaudo

SAG T1

Descrição do caso:

Nota-se uma lesão cística bem delimitada e heterogênea ocupando todo o quarto ventrículo, promovendo efeito expansivo regional, comprimindo o parênquima cerebelar adjacente e promovendo edema reacional regional. Há focos de hipersinal em FLAIR em meio à lesão, relacionado à escolex em quadro típico de neurocisticercose. Há realce periférico de toda a lesão, linear.

Diagnóstico:

Neurocisticercose intraventricular:

Descrição da doença:

A neurocisticercose possui três formas principais de acometimento, uma intraparenquimatosa, uma subaracnoide e outra intraventricular.

A forma intraventricular geralmente não possui escolex visível (fato que acontece neste caso apresentado), os cistos geralmente possuem 2 a 3 cm e possuem sinal similar ao líquor, entretanto, podem ter ligeiro hipersinal.

Geralmente no componente intraventricular é associado à ventriculite, com consequente estenose aquedutal e hidrocefalia. No caso em específico, a paciente possuia hidrocefalia que foi tratada logo após a realização da tomografia computadorizada, para melhora clínica da paciente.

Referências bibliográficas:

1. Teitelbaum GP, Otto RJ, Lin M et-al. MR imaging of neurocysticercosis. AJR Am J Roentgenol. 1989;153 (4): 857-66. AJR Am J Roentgenol.
2. Kimura-Hayama ET, Higuera JA, Corona-Cedillo R et-al. Neurocysticercosis: radiologic-pathologic correlation. Radiographics. 2010;30 (6): 1705-19.

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes