Radiologistas em destaque – Dra. Patrícia Moyses

 Em Radiologista em destaque

A médica carioca, formada há 18 anos, teve na parceria com a Telelaudo o impulso que faltava para retornar a sua cidade natal. Ao fazer isso, conseguiu unir a proximidade da família com uma nova forma de levar medicina de qualidade aos pacientes e médicos solicitantes. Conheça a trajetória de Patrícia Moyses e sua opinião sobre o futuro de sua área de atuação.

 

Telelaudo: Como descobriu a telerradiologia e a Telelaudo?

Patrícia Moyses:Sou carioca e minha formação profissional foi feita aqui. Após os quatro anos de residência, com foco em RM, principalmente na área de neurorradiologia, me mudei para São Paulo, capital. Nesta cidade, tive ótimas oportunidades profissionais e trabalhei em diversas áreas da radiologia. Morei lá por 10 anos e nos três últimos, trabalhava em uma central de laudos, já como neurorradiologista.

Por motivos pessoais decidi que deveria voltar a morar no Rio e ficar perto da minha família. Foi nesse momento, em 2011, que soube da Telelaudo, através da Flávia Junqueira, colega Radiologista que hoje também faz parte da nossa equipe. A empresa estava crescendo e precisando de bons radiologistas. A Telelaudo me recebeu com muito carinho e respeito e facilitou meu retorno à minha cidade natal. Tenho orgulho de estar na Telelaudo desde o início e fazer parte da sua história.

Telelaudo: Trabalhar em casa mudou sua forma de encarar a vida e o complexo equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Patrícia Moyses:Trabalhar em casa tem vantagens e desvantagens. Acredito que se você for uma pessoa disciplinada, organizada, as vantagens se sobrepõe às desvantagens com facilidade. Nas cidades grandes, onde os deslocamentos são cada vez mais complicados e demorados, trabalhar em casa significa ganho de horas de vida que você pode usar da maneira que lhe convier: mais trabalho, lazer, atividade física, horas de sono etc.

A sensação de terminar um dia de trabalho, desligar o computador e já estar em casa é maravilhosa! Nada de engarrafamento, stress, perda de tempo. Me formei médica há 18 anos. Amo minha profissão, adoro trabalhar, mas estou numa fase em que prezo demais a qualidade de vida.

Telelaudo: Qual considera ser o principal ganho que a telerradiologia traz para médicos solicitantes e pacientes?

Patrícia Moyses:Considero o maior ganho poder oferecer, com rapidez e eficiência, laudos elaborados por radiologistas altamente capacitados, especializados nas diversas áreas, a pacientes que moram em todos os cantos do Brasil, muitas vezes em lugares precários, de difícil acesso, onde provavelmente não encontrariam esse tipo de profissional. É muito gratificante poder oferecer medicina de qualidade sem a distância como barreira.

Telelaudo: Como você avalia o futuro de sua profissão em um mundo cada vez mais conectado, móvel e cheio de aplicativos?

Patrícia Moyses:Com a rápida evolução das telecomunicações e comunicação digital, teremos a redução constante dos custos na telerradiologia. Já existe infraestrutura de compartilhamento de imagens na nuvem, por exemplo. Acredito que o futuro será a disponibilização de informações, exames e monitoramento de pacientes em todo lugar, como tablets e dispositivos móveis, respeitando padrões de tecnologia e segurança das informações.

O trabalho no esquema de home-office é uma tendência em diversas profissões nos países mais desenvolvidos. Especificamente na área da telerradiologia. Vejo o futuro cada vez mais facilitado pela tecnologia, pela globalização, com os radiologistas e clínicas conectados, discutindo casos, até mesmo multidisciplinarmente. Ter uma segunda opinião ou revisão de laudo está cada vez mais simples e acelerado. Os profissionais de saúde, e principalmente os pacientes, só têm a ganhar!

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes