Sensores e consultas a distância são tendências na medicina do futuro

 Em Destaques na Saúde

O 1º Fórum Medicina do Amanhã, que aconteceu no último dia 20 de maio, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, reuniu grandes empresas de tecnologia para debater o futuro da medicina.

Durante o Fórum, foi apresentada pela diretora de Tecnologia da Informação em Saúde da Intel, Joan Hankin, sensores capazes de monitorar o organismo de pessoas com doenças crônicas para enviar as informações diretamente ao consultório ou até para o celular de seu médico.

Para o ano 2020, a Intel projetou um cenário no qual o clínico geral irá começar seu dia recebendo os dados coletados em sensores usados por seus pacientes. Ele poderá usar as mídias sociais para parabenizar os pacientes que estão com suas doenças crônicas controladas e para orientar aqueles que precisem de ajuda. Caso um dos pacientes apresente um quadro emergencial, ele receberá um alerta direto em seu celular.

Para Joan, esses recursos poderiam ajudar os médicos a atenderem mais pacientes em menos tempo. A maior parte dessas ferramentas permitiria também que os cuidados fossem feitos a distância, colaborando com os avanços da telemedicina.

Fonte:Portal G1

Crédito de imagem:Portal G1

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes