5 princípios indispensáveis para quem trabalha com saúde

 Em Artigo, Curiosidades, Destaques na Saúde

Profissionais da saúde devem seguir diretrizes dos códigos de ética, inclusive incorporando princípios importantes nas suas escolhas e atividades diárias

Muitas profissões contam com princípios éticos e humanos que influenciam o exercício das atividades. Na formação dos profissionais da saúde, sejam eles médicos, enfermeiros ou mesmo gestores de saúde, esses elementos são fundamentais.

Por se tratar de uma área que lida diariamente com a vida, os profissionais da saúde precisam conhecer e, especialmente, exercer os princípios éticos, morais e humanos, garantindo não apenas um bom atendimento, mas respeito e empatia pelos pacientes e familiares.

Ética do exercício da saúde

Os princípios são tão importantes na área da saúde que os profissionais devem conhecer e seguir as diretrizes dos códigos de ética. Esses documentos sistematizam um conjunto de regras para:

  • regular as ações dos profissionais da saúde;
  • informar as responsabilidades e deveres;
  • garantir os direitos  dos profissionais.

Por exemplo, um médico que descumpre as determinações do código de ética da categoria pode ter seu CRM cassado e ficar impedido de exercer a profissão.

Esse tipo de determinação demonstra a importância de ter uma atuação que compactua com os princípios da profissão e também com o código de ética.

Atualmente, a Bioética é uma área que ganha expressão, pois consiste no estudo da conduta humana em ciências da vida e saúde, expressando valores e princípios morais para o exercício de atividades relacionadas.

A Bioética surgiu em decorrência dos avanços científicos na área da biomedicina, inclusive para determinar os limites das aplicações.

Por exemplo, é contra os princípios da Bioética e da ética médica que um casal escolha o sexo do bebê durante um tratamento de fertilização in vitro, ainda que a ciência tenha conhecimento suficiente para tal devido à inovação tecnológica.

Na Bioética especificamente, os conflitos e dilemas éticos que podem surgir no exercício das atividades devem ser solucionados partindo de quatro princípios: beneficência, não-maleficência, autonomia e justiça.

5 princípios importantes aos profissionais da saúde

Além dos princípios da Bioética, que podem ser incorporados pelos profissionais da saúde, outros valores importantes estão presentes em códigos de ética da área e do trabalho.

1. Integridade

Um profissional íntegro pode ser entendido como aquele que tem uma reputação ilibada, ou seja, sem manchas em sua trajetória profissional, tendo exercido suas funções com honestidade, sem deixar-se atrair por práticas obtusas, como corrupção.

A integridade profissional garante que a pessoa esteja sempre comprometida a fazer o certo, respeitando seus colegas de trabalho e seus pacientes.

Alguns valores que garantem o princípio da integridade incluem honestidade, veracidade, transparência, respeito e dignidade.

Destaca-se ainda que na saúde também deve ser levada em conta a integridade científica, de forma que um profissional só deve prescrever um tratamento ou medicamento, por exemplo, que teve sua eficácia comprovada pelos métodos científicos de pesquisa.

2. Imparcialidade

Um profissional de saúde não pode ser parcial na escolha de atendimento e tratamentos, manifestando qualquer tipo de preconceito como de gênero, raça, orientação sexual, etnia ou outros.

É essencial aos princípios do exercício da Medicina que todos os pacientes sejam tratados de forma igualitária, evitando privilégios a grupos específicos que possam restringir o acesso à saúde por outras pessoas.

3. Confidencialidade

É imprescindível que os profissionais da saúde baseiem suas atividades nos princípios de confidencialidade, garantindo que todas as informações relacionadas a um atendimento, tratamento ou diagnóstico sejam mantidas em sigilo.

Essa proteção cabe às informações presentes no prontuário médico, mas igualmente em informações que tenham sido transmitidas pelo paciente durante o atendimento. 

4. Autonomia

O profissional de saúde deve sempre preservar a autonomia de suas escolhas e ações, pois muitas vezes a rapidez de resposta a uma situação é determinante nas chances de salvar um paciente.

Dessa forma, ainda que haja uma estrutura de mando dentro de toda instituição, o profissional de saúde deve estar consciente sobre suas escolhas e atividades, especialmente em emergências, nas quais a abordagem não pode ser dialogada com outros profissionais.

A autonomia é um princípio importante da saúde, pois o médico ou enfermeiro, por exemplo, responde pelas escolhas que faz durante o atendimento ao paciente.

5. Idoneidade

A idoneidade profissional refere-se à capacidade de adequar-se e ter a aptidão necessária para ocupar determinado cargo, função ou realizar determinadas tarefas.

Por exemplo, na área da saúde isso refere-se a não aceitar um cargo de chefia se não se considera apto ou preparado para exercê-lo ou não se dispor a realizar um procedimento caso não tenha desenvolvido ainda as habilidades necessárias para garantir a segurança do paciente.

Estes princípios são indispensáveis ao exercício de funções relacionadas tanto à medicina presencial, quanto à telemedicina. Os profissionais da saúde – tais como médicos radiologistas, como no caso da telerradiologia – devem estar conscientes sobre eles e também trabalhar continuamente para que a prática diária reflita tais valores.

VAMOS CONVERSAR?

[getparam utm_campaign]


×