Qual estrutura é necessária para implementar a telerradiologia em sua clínica?

 Em Telerradiologia

Adoção da telerradiologia em clínicas e hospitais demanda infraestrutura local básica para viabilidade e eficiência do serviço. Veja quais são os requisitos mínimos

Ao avaliar a adesão da telerradiologia, um dos principais aspectos ponderados pelos gestores refere-se aos custos iniciais relacionados à implementação do serviço na clínica ou hospital.

A decisão por qualquer investimento ou transformação operacional deve passar por uma análise detalhada dos recursos necessários, novos processos a serem implementados e resultados que podem ser alcançados.

4 estruturas necessárias para telerradiologia

A estrutura física necessária à implementação da telerradiologia não difere significativamente dos recursos demandados na operação da área de radiologia.

Conhecer quais são esses recursos garante maior previsibilidade ao investimento e adequação no período de transição.

1. Radiologia digital

Um primeiro aspecto a ser considerado pelos gestores é a adesão à radiologia digital por meio de um equipamento digital.

A radiologia digital elimina a necessidade de impressão dos exames radiológicos em chapas, de forma que a captação da imagem radiológica é gerada automaticamente no computador conectado ao equipamento. São diversos benefícios associados, como:

  • Redução dos custos operacionais;
  • Maior qualidade da imagem radiológica;
  • Redução da exposição à radiação;
  • Menos demanda por refação de exames;
  • Simplificação das etapas de transmissão e armazenamento dos exames;
  • Prática mais sustentável, com redução de lixo hospitalar tóxico.

Tais vantagens já têm transformado a área da radiologia, mas muitas instituições ainda ponderam se o investimento vale a pena.

Para adesão à telerradiologia, a radiologia digital é uma exigência.

2. Computadores

Um item básico, mas que precisa ser destacado na infraestrutura para adesão à telerradiologia, é um computador para facilitar o envio dos exames e o recebimento dos laudos.

A radiologia digital já demanda que haja um computador conectado ao equipamento radiológico, portanto, não se trata de um investimento elevado ou exclusivo para o serviço, já sendo integrado às práticas cotidianas.

Um aspecto importante é que não é necessário que seja um computador potente, de forma que os custos desse equipamento não são distintos dos de uso tradicional da instituição.

3. Internet

Saiba conduzir o bom funcionamento da telerradiologia

O acesso à internet, atualmente, já é uma demanda básica das instituições de saúde e também é uma necessidade caso avalie-se a implementação do serviço de telerradiologia.

A internet é necessária para que haja a transmissão de dados entre duas redes remotas – neste caso, a clínica ou hospital e a parceira de telerradiologia.

A velocidade da internet não precisa ser alta, a menos que a clínica pretenda usar a telerradiologia para exames de urgência. Mas é fundamental que haja estabilidade no acesso para que a comunicação ocorra sem atrasos e falhas.

4. PACS

O PACS (Picture Archiving and Communication System) consiste no sistema de comunicação e o arquivamento de imagens e é uma ferramenta opcional, mas desejável,  na implementação da telerradiologia.

O serviço pode ser operacionalizado com o PACS local ou na nuvem, conforme a preferência da instituição de saúde.

A ferramenta permite o gerenciamento e armazenamento de todo exame realizado em equipamento radiológico, tornando a comunicação entre a clínica e a parceira mais fácil e ágil. Outros benefícios incluem:

  • Elevada qualidade para visualização dos exames;
  • Praticidade na busca por dados e resultados no sistema;
  • Redução de custos com armazenamento de imagens e impressão de exames;
  • Maior segurança dos dados;
  • Possibilidade de acesso remoto e em nuvem.

O PACS pode ser um recurso adotado na clínica independentemente da telerradiologia, simplificando a operação da radiologia.

Como implementar a telerradiologia na clínica?

A implementação na clínica, principalmente quando esses requisitos de estrutura estão previamente em funcionamento, é rápida e prática.

É fundamental escolher uma parceira que atenda às necessidades da instituição, como no que diz respeito à disponibilidade de serviços (24 horas por dia, plantão nos finais de semana e feriados, por exemplo), exames e subespecialidades oferecidas.

Ao optar pela implementação da telerradiologia, os gestores devem considerar a infraestrutura demandada e os investimentos iniciais.

A curva de aprendizado dos novos processos e ferramentas por parte dos profissionais da clínica também é um elemento importante para uso adequado das soluções disponibilizadas para reduzir falhas nos processos e solicitações.

A avaliação desses fatores previamente permite que a implementação da telerradiologia na clínica seja mais previsível, amigável aos colaboradores e apresente resultados mais satisfatórios.

VAMOS CONVERSAR?

[getparam utm_campaign]


×