COVID-19: O que muda nos processos de atendimento de serviços de radiologia, segurança para o seu paciente e sua equipe

 Em COVID-19, Radiologia

Definição de protocolos sanitários é essencial para minimizar transmissão da Covid-19 em departamentos de radiologia

A relação entre Covid-19 e a radiologia a distância é próxima em um momento que a pandemia do coronavírus já afetou mais de 36 milhões de pessoas em todo o mundo (dado de 8 de outubro de 2020).

Os exames de imagem são usados para auxiliar na confirmação da patologia e também no monitoramento do quadro dos pacientes.

Nesse cenário, os departamentos de radiologia devem adotar uma série de protocolos de atendimento para garantir a segurança dos pacientes e das equipes.

Covid-19 e radiologia: quais cuidados adotar na prestação do serviço?

Os cuidados que podem ser adotados nos departamentos quanto à Covid-19 e radiologia são amplos e garantem mais segurança para pacientes e equipes, evitando que o local torne-se um foco de transmissão da doença.

Limpeza dos ambientes

Uma das mais importantes recomendações dos órgãos nacionais e internacionais de saúde é que haja uma intensificação do trabalho de limpeza dos ambientes, incluindo salas de atendimento, corredores, recepção e banheiros, por exemplo.

A limpeza com desinfecção dos ambientes reduz as chances de contágio por evitar que o vírus permaneça nas superfícies, podendo contaminar pessoas que circulam no ambiente e que após contato com portas, maçanetas, balcões etc. levem às mãos em contato com as mucosas, como boca, nariz e olhos.

Desinfecção de equipamentos

No caso específico dos equipamentos da radiologia, eles devem ser desinfetados após cada uso, incluindo os pórticos para tomografia computadorizada, sondas de ultrassom, manguitos de pressão arterial, mouse e teclados da estação de visualização de imagens e outras ferramentas.

A limpeza deve ocorrer após cada contato, independentemente se o paciente tiver diagnóstico positivo para Covid-19 ou não. Destaca-se que os gestores devem verificar, junto aos fornecedores, os desinfetantes mais adequados a cada tipo e peça do equipamento.

Uso de equipamentos de proteção individual

O uso de equipamentos de proteção individual no ambiente médico é essencial incluindo máscaras, aventais descartáveis, luvas, óculos e protetor facial dependendo da atividade do profissional e do nível de exposição.

Deve-se exigir ainda o uso de máscaras faciais por todas as pessoas que circulam no ambiente instruindo quanto a melhor forma de usá-las, como evitando tocar na frente da máscara, procedimento correto para remoção e descarte, entre outros.

Higienização das mãos

Para evitar a transmissão da Covid-19 na radiologia recomenda-se que sejam disponibilizados frascos de álcool em gel em diferentes pontos do ambiente visando atender tanto à equipe médica quanto os pacientes.

Além disso, os profissionais de saúde devem fazer a higienização regular das mãos com água e sabão sempre que entrarem e encerrarem um contato com paciente. Pias apropriadas devem ser instaladas para facilitar essa higienização das mãos ao longo do dia.

Agendamento dos exames

Os departamentos de radiologia podem modernizar seus processos visando reduzir o tráfego de pessoas no ambiente do hospital ou consultório.

Para isso, uma possibilidade é disponibilizar canais para agendamento de exames como telefone, aplicativos de mensagem, site e outros.

Outro aspecto relevante é que haja um intervalo maior entre os exames para que seja feita a desinfecção dos equipamentos e evitar proximidade dos pacientes.

Destaca-se ainda que os departamentos devem investir em opções digitais para entrega dos resultados, como com o envio do laudo digital por e-mail ao paciente, evitando que ele precise se deslocar para obter o resultado do exame.

Testagem para Covid-19

A testagem para Covid-19 é um importante recurso para mapear a linha de transmissão do vírus, isolando membros da equipe que estejam infectados para minimizar as chances de contágio.

Dessa forma, departamentos de radiologia devem disponibilizar testes aos profissionais da linha de frente, principalmente se situações de risco elevado de transmissão forem identificadas.

Distanciamento social

Ainda que no caso dos profissionais da saúde o isolamento social seja difícil, o distanciamento social deve ser incentivado pelas gestões dos departamentos, como em momentos de refeições, descanso ou troca de turnos de equipes.

Isso significa que mesmo fora do momento de atendimento ao paciente, os profissionais devem manter a distância de 1,5 metro dos colegas.

O espaço da clínica, consultório ou hospital também deve ser organizado para que os frequentadores respeitem o distanciamento de 1,5 metro indicado, como separando cadeiras, criando marcações em filas etc.

Nesse sentido, a elaboração de laudos a distância pode facilitar o distanciamento social, uma vez que os profissionais que emitem os laudos podem atuar em “home office”, reduzindo a circulação de pessoas no local.

É essencial que os gestores estejam conscientes da relação entre coronavírus e radiologia e adotem ações eficazes para aumentar a segurança dos pacientes e da equipe.

VAMOS CONVERSAR?

×