O que preciso saber antes de abrir uma clínica?

 Em Artigo, Telemedicina, Telerradiologia

Estrutura jurídica, infraestrutura, localização, telemedicina e tecnologia: conheça esses e outros aspectos a serem considerados para abrir uma clínica médica.

A abertura de uma clínica médica passa por diversas etapas de planejamento e decisão, desde questões legais até em como será o funcionamento, por exemplo, com adoção da telemedicina e outras possibilidades modernas dos serviços de saúde.

Avaliar o passo a passo antes de iniciar a abertura da clínica é imprescindível para que haja menos atritos após iniciado o processo, garantindo mais organização e previsibilidade.

A seguir conheça 7 pontos importantes a serem considerados antes de abrir uma clínica contemplando diferentes elementos, como infraestrutura, equipe e telemedicina.

  1. Aspectos legais e tributários

O primeiro ponto a ser planejado é a estrutura jurídica da clínica de acordo com as classificações da Agência Nacional de Saúde (ANS) contendo até 54 estruturas de organização na área de saúde.

A definição da estrutura jurídica pode ser feita com auxílio de um contador ou advogado, garantindo uma escolha mais propícia em relação a como a clínica vai funcionar.

Essa escolha também influencia a questão tributária, sendo importante para que após a abertura da clínica não haja uma carga de impostos onerosa à operação.

  1. Infraestrutura e localização

Clínicas médicas e instituições de saúde em geral precisam cumprir requisitos mínimos no que diz respeito à infraestrutura do espaço, garantindo acessibilidade aos pacientes.

No que se refere à localização, é importante que a região seja definida com base no público-alvo, facilidade de acesso, concorrência e outros.

Na parte interna, deve-se garantir espaços bem arejados e iluminados contendo, ao menos, recepção e sala de espera, banheiros, copa, consultórios e despensa/almoxarifado.

  1. Contratação e qualificação da equipe

Para abrir uma clínica também será necessário pensar na fase de contratação dos colaboradores, com destaque especificamente ao tipo de negócio que se pretende criar.

O processo seletivo de contratação deve ser alinhado aos valores e objetivos do negócio, de forma a ter uma equipe mais comprometida e alinhada às visões da clínica.

Além disso, mesmo com um processo seletivo criterioso, é relevante que a clínica tenha programas de treinamento e qualificação visando a padronização dos atendimentos e adaptação dos profissionais aos processos desenvolvidos.

A Telelaudo publicou um e-book dedicado, por exemplo, aos passos para a contratação de radiologistas que pode ser acessado aqui.

  1. Estabelecimento de processos claros e transparentes

Muitos gestores esquecem que para um negócio funcionar corretamente é necessário definir processos para cada tipo de serviço e etapa de atendimento.

Ter clareza dessa necessidade desde o início garante a consolidação, desde o início das atividades, de processos claros e transparentes que são reconhecidos pelos colaboradores e alinhados com os valores da clínica.

Os processos também são importantes para consolidar as atividades, padronizar os atendimento e promover mais qualidade e humanização no contato com os pacientes.

  1. Avaliar a adoção da telemedicina

Atualmente, uma clínica que vai iniciar as atividades precisa considerar a apoiar seus serviços por meio da telemedicina.

A telemedicina consiste na assistência médica por intermédio de tecnologias da informação e comunicação (TIC). Desde 2020 as consultas médicas podem ser realizadas por meio da internet, de forma que essa opção deve ser avaliada.

A telemedicina promove uma série de vantagens à clínica, aos profissionais e aos pacientes, como mais agilidade no atendimento, redução de deslocamentos, segurança e praticidade no dia a dia. 

  1. Investimento em tecnologias

Tanto para a adoção da telemedicina como também para uma operação mais moderna e ágil é essencial que os gestores avaliem o investimento em tecnologias já no início das atividades, como:

  • equipamentos radiológicos: dependendo da especialidade da clínica é preciso disponibilizar a realização local de exames radiológicos. Nesses casos, é interessante investir em equipamentos digitais e com tecnologias integradas a sistemas online;
  • telerradiologia: para algumas clínicas é vantajoso terceirizar a emissão dos laudos de radiologia, o que torna esse processo mais ágil, garante a qualidade e a previsibilidade dos custos;
  • sistema de gestão: permite a centralização das operações fiscais, tributárias, estoques e até mesmo agendamentos em um único sistema, o que promove benefícios diversos, como organização, previsão da operação, eficiência e padronização.

Atualmente, as tecnologias contribuem nos diferentes processos desenvolvidos na clínica, desde o agendamento e recepção, até no atendimento médico.

Dessa forma, é fundamental que os gestores mantenham-se atualizados sobre as possibilidades do setor, utilizando esses novos meios para criar diferenciais no atendimento e prestação de serviços.

  1. Divulgação

Mesmo negócios como as clínicas médicas precisam investir em divulgação caso almejem conquistar um público e ganhar visibilidade.

Entre as possibilidades de divulgação na área médica estão as redes sociais, site institucional, e-mail marketing, anúncios online e outros.

Portanto, são diversas as questões que precisam ser analisadas de antemão para abrir uma clínica médica com mais chances de sucesso e previsibilidade financeira, incluindo desde a telemedicina até as questões fiscais e tributárias.

VAMOS CONVERSAR?

[getparam utm_campaign]


×