Quem pode abrir uma clínica de radiologia?

 Em Gestão, Radiologia

Abertura da clínica de radiologia demanda avaliação de exigências burocráticas e legais, mas também a análise sobre a viabilidade da operação. Saiba mais a seguir

A clínica de radiologia pode ser um empreendimento vantajoso nas perspectivas profissionais, mas deve considerar uma série de fatores legais, gerenciais e até mesmo de marketing.

A assistência especializada no processo de abertura da clínica de radiologia, seja de um contador ou advogado, contribui na estruturação adequada do negócio. Apesar disso, é importante que o empreendedor conheça quais aspectos exigem sua atenção nessa iniciativa.

Quais são as questões legais para abertura de uma clínica de radiologia?

A abertura da clínica de radiologia só é permitida para profissionais reconhecidos da área radiológica, de forma que uma das exigências é o credenciamento do Conselho Regional de Medicina (CRM) ou do Conselho Regional de Odontologia (CRO).

Caso uma pessoa que não seja da área queira empreender nesse ramo de serviços, é possível juntar-se com um profissional especializado, obtendo então a permissão para funcionamento em sociedade.

Independentemente de sociedade ou não, é necessário que o profissional atente-se às questões legais exigidas.

Questão tributária

Um primeiro aspecto a ser considerado é o tipo de enquadramento tributário da clínica de radiologia e o tipo de empresa, que pode ser Empresário Individual, EIRELI, Sociedade Limitada Unipessoal ou sociedade.

O regime tributário pode ser Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido. Essa definição é importante, pois influencia a carga tributária da empresa.

O planejamento tributário antecipado é relevante para a saúde financeira e fiscal da clínica. Posteriormente também influenciará nas perspectivas de crescimento.

Registro

Além da questão tributária, os sócios devem fazer o registro da clínica seguindo o código determinado pela CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) que é embutido no CNPJ.

Essa classificação é relevante, pois esclarece a atividade que é exercida na empresa e impacta questões como os tributos, por exemplo.

O CNAE para abrir uma clínica de radiologia ou serviços de diagnóstico por imagem com utilização de radiação ionizante é o 8640-2/05.

Essas informações precisam constar no contrato social da empresa, que também define as questões societárias, incluindo a divisão entre os sócios.

As demandas burocráticas são fundamentais na abertura de qualquer negócio, especialmente de uma clínica de radiologia que, devido à natureza da atividade, demanda alvarás especiais de funcionamento que assegurem a segurança no entorno.

Sem essas definições iniciais corretas, não será possível solicitar, por exemplo, vistoria pelos órgãos sanitários e de segurança, inviabilizando a operação.

O que considerar antes de abrir uma clínica de radiologia?

Dicas para abrir clínica de radiologia

Além das questões legais e burocráticas relacionadas à abertura da clínica de radiologia, o empreendedor deverá considerar uma série de fatores relacionados ao planejamento inicial para a tomada de decisões gerenciais sobre a operação.

Localização e infraestrutura

Dada à natureza das atividades na clínica de radiologia, ela não pode ser situada em qualquer local, devendo ser consultado junto à Prefeitura se os locais analisados comportam esse tipo de empreendimento.

Devem ser considerados os investimentos necessários para adequação da infraestrutura, como paredes de chumbo para conter a radiação. Ainda há outras questões, como acessibilidade do espaço, recepção, banheiros, salas de atendimento e estacionamento.

Capital inicial

Os sócios precisam considerar os investimentos necessários para tirar a clínica radiológica do papel e iniciar as atividades. Cálculos equivocados nesse momento podem resultar em uma conta em vermelho antes mesmo da abertura.

Preferencialmente, o capital inicial deve ser capaz de cobrir todos os investimentos com abertura da empresa, reformas e adequação do prédio, aquisição de equipamentos radiológicos (ou locação) e outros, como o capital de giro.

Público-alvo

Um aspecto do marketing é definir quem será o público-alvo do empreendimento, o que traz diferentes implicações à clínica, desde a localização até as práticas de divulgação que serão adotadas.

É fundamental que essa definição ocorra precocemente, garantindo uma estruturação alinhada aos objetivos do negócio.

Serviços da clínica de radiologia

Existem diversos serviços radiológicos que podem ser prestados em uma clínica, como exames de raios-x, mamografia, densitometria óssea, tomografia, ressonância magnética, odontologia e outros.

A definição de quais serão os serviços inicialmente prestados deve ser alinhada aos objetivos de mercado, público-alvo e capacidade de investimento.

Telerradiologia e telecomando

Um dos principais desafios ao abrir uma clínica de radiologia é a contratação de mão de obra especializada.

Atualmente, parte desse desafio pode ser superada por meio de serviços de telerradiologia e telecomando, nos quais uma parceira fornece assistência em etapas como a emissão de laudos, orientação e realização de exames de alta complexidade, como tomografia e ressonância.

Esses serviços facilitam o início das atividades da clínica de radiologia, simplificando o acesso a profissionais capacitados.

Ao abrir uma clínica radiologia é necessário avaliar e considerar esses diferentes fatores, desde aspectos legais de quem pode abrir esse tipo de empreendimento, até elementos de planejamento para atingir o público esperado.

VAMOS CONVERSAR?

[getparam utm_campaign]


×