Telecomando para TC e RM: entenda como funciona o fluxo de atendimento

 Em Telemedicina, Telerradiologia

Serviço de telecomando para TC e RM viabiliza fluxo operacional satisfatório e pode impactar positivamente gestão de clínicas

 

O telecomando para TC e RM – tomografia computadorizada e ressonância magnética – é uma opção para otimizar o fluxo de atendimentos no setor radiológico de clínicas e hospitais.

Por meio do telecomando para TC e RM os exames são realizados localmente, enquanto uma equipe externa de técnicos em radiologia executa o procedimento, que inclui operação do equipamento e instruções ao paciente.

Essa solução é particularmente vantajosa à realização de exames de alta complexidade, como TC e RM, que dispõem de menos técnicos qualificados, a depender da localidade.

Como funciona o fluxo de atendimento com telecomando para radiologia?

O fluxo de atendimento no setor radiológico que conta com telecomando para TC e RM não é completamente distinto do tradicional, mas tem diferenças importantes que devem ser ponderadas previamente pelos gestores.

O agendamento do exame segue o fluxo de atendimento normal, conforme disponibilidade do equipamento. O paciente recebe as orientações de cuidados prévios, quando houver, e deve se encaminhar normalmente à instituição de saúde próxima de casa.

Em seguida, é preciso fazer a triagem do paciente, que é realizada pelo enfermeiro local.

Inicia-se, então, a participação da equipe externa. Utilizando um sistema de microfones, câmeras e sensores, o especialista acompanha a distância e orienta o paciente sobre posicionamento no equipamento, sendo auxiliado pelo enfeirmeiro local.

O equipamento é operado remotamente, com uso de um sistema específico que permite ao especialista externo definir as parametrizações necessárias conforme as particularidades da solicitação médica.

O exame de tomografia ou ressonância é conduzido normalmente e com a mesma duração de um exame realizado integralmente na clínica. A emissão dos laudos pode ser feita localmente ou por telerradiologia.

Portanto, ainda que haja diferenças no fluxo de atendimento com o telecomando para TC e RM, não há mudanças que prejudiquem o ritmo de exames ou o conforto do paciente.

Quais os benefícios do telecomando para radiologia?

Benefícios do telecomando para TC e RM na medicina

A adesão ao serviço de telecomando na área radiológica de clínicas e hospitais garante uma série de benefícios administrativos e operacionais.

  • gestão de pessoas: a escala de profissionais para realização de exames de TC e RM pode ser complicada e disputada, sendo que equipes externas podem contribuir para facilitar esse gerenciamento ao ampliar a agenda;
  • disponibilidade de profissionais: dada a complexidade dos exames, algumas instituições, a depender da localização, têm dificuldade para encontrar profissionais, restringindo a oferta de exames de TC e RM, o que pode ser revertido com o telecomando;
  • horário de atendimentos: o serviço permite ampliar os horários de atendimento, inclusive para que os equipamentos de TC e RM possam funcionar simultaneamente ainda que não haja técnicos no local;
  • leque de exames: muitas clínicas almejam ampliar o atendimento e leque de exames, mas têm desafios relacionados à contratação de mão de obra especializada;
  • eficiência de processos: como visto, o fluxo de atendimento no telecomando é eficaz e de elevada qualidade.

Os benefícios do telecomando para TC e RM justificam o investimento nesse serviço e estão associados a oportunidades de otimização, expansão e consolidação do setor radiológico em clínicas e hospitais.

Quais desafios o telecomando ajuda a superar?

Apesar dos benefícios do telecomando, muitos gestores têm dúvidas de quando é o momento certo de investir na solução. Dessa forma, é relevante compreender de antemão quais os desafios podem ser enfrentados com o serviço, como:

  • indisponibilidade de profissionais especializados em TC e RM na região da instituição;
  • problemas administrativos relacionados ao gerenciamento de folgas e férias dos profissionais do setor de radiologia;
  • alta demanda pela realização de exames de tomografia e ressonância, com fila de espera devido à indisponibilidade de agenda da equipe;
  • especialista único para atender as demandas de TC e de RM, fazendo com que haja incompatibilidade no funcionamento simultâneo dos equipamentos;
  • ociosidade dos equipamentos radiológicos devido à falta de mão de obra especializada para condução dos exames;
  • planos de expansão do atendimento na área de radiologia, visando a consolidação dos novos serviços antes de se comprometer com a ampliação da equipe interna.

Esses cenários não são incomuns nas instituições de saúde brasileiras. O telecomando para TC e RM contribui na resolução de algumas dessas demandas, podendo ser integrado à operação para gerar ganhos administrativos, gerenciais e econômicos à instituição de saúde.

VAMOS CONVERSAR?

    [getparam utm_campaign]


    ×