Telerradiologia no Brasil: evolução e perspectivas

 Em Telerradiologia

A telerradiologia no Brasil tem trajetória em ascensão graças às contribuições ao enfrentamento da Covid-19. Conheça história e expectativas com a prática

A telerradiologia no Brasil é uma prática em crescimento nos últimos anos devido aos benefícios promovidos às instituições de saúde e aos profissionais, mas também graças às boas perspectivas quanto ao futuro da radiologia.

Em diferentes países, incluindo o Brasil, a adesão à telerradiologia acelerou devido ao favorecimento às medidas de telemedicina no combate à pandemia da Covid-19.

Como tem sido a evolução da telerradiologia no Brasil?

Apesar da difusão da telerradiologia no Brasil nos últimos anos, a prática já tem tradição no País desde a década de 1990 quando começou a ser discutida em universidades.

Legislação

A evolução da prática de laudo a distância no Brasil se deve ao esforço inicial dos acadêmicos até que, em 2009, a telerradiologia foi regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) por meio da resolução 1.890, atendendo a demanda já existente da classe médica.

As diretrizes foram atualizadas por meio da resolução CFM 2.107 de 2014 na qual o órgão dispõe sobre práticas para garantir a segurança, eficiência e qualidade à telerradiologia no País.

A resolução de 2014 ainda está em vigor, demonstrando solidez e capacidade de abarcar as mudanças operacionais de clínicas e hospitais resultantes do combate à pandemia da Covid-19.

Telerradiologia interna e externa

A telerradiologia consiste na emissão de laudos de exames radiológicos a distância, mas essa prática pode se dar de duas formas:

  • interna: quando os radiologistas da própria instituição são responsáveis pelo laudo dos exames, mas atuam em home office;
  • externa: quando radiologistas de um serviço especializado atendem parte da demanda da instituição de saúde, mas sem vínculos empregatícios com ela.

Dessa forma, existem diferentes modelos gerenciais e operacionais que podem funcionar para que a clínica ou hospital atue com a telerradiologia.

Torna-se cada vez mais comum o trabalho complementar entre equipes alocadas internamente e profissionais da telerradiologia interna e externa.

Qualidade de vida aos profissionais

A demanda dos profissionais na área da saúde é muito elevada devido à necessidade de plantões médicos e atendimento 24x7x365. Dessa forma, a telerradiologia é vista como uma aliada à qualidade de vida dos radiologistas.

A telerradiologia interna reduz a frequência no centro médico e diminui os deslocamentos, tornando a rotina do profissional mais flexível.

Já a externa permite atender plantões, reduzindo a sobrecarga das equipes internas, além da cobertura em férias e finais de semana, evitando o acúmulo e excesso de trabalho.

Contribuições ao enfrentamento à pandemia da Covid-19

Durante a pandemia da Covid-19 uma das principais medidas sanitárias recomendadas pelos órgãos competentes inclui o distanciamento social, com redução dos deslocamentos e adoção do home office sempre que possível.

Por sua vez, a área de radiologia, especialmente para exames de tomografia de tórax, viu sua demanda aumentar enormemente.

Nesse contexto, a telerradiologia contribuiu na redução da exposição de médicos radiologistas, especialmente de grupos de risco, com garantia da capacidade de atendimento.

Quais as perspectivas para o futuro da telerradiologia?

Conheça a telerradiologia no Brasil

Com a trajetória da telerradiologia no Brasil, é comum que se questione qual será o futuro da área, se ela tem potencial para crescimento e transformações ainda mais profundas na saúde.

De fato, esta prática está em constante modernização, promovendo ganhos às diferentes partes.

Sistemas integrados

Entre as perspectivas para o funcionamento, está a adoção de sistemas integrados de forma que as operações internas e externas da clínica ou hospital funcionem com fluidez e agilidade.

Esses sistemas gerenciais já existem, mas a tendência é que haja um aumento da adesão conforme instituições de saúde retomem a capacidade de investimento e modernização de suas infraestruturas.

Computação em nuvem

Juntamente com os sistemas integrados está a adoção de operações em nuvem, tanto com sistemas alocados externamente, reduzindo a demanda por capacidade de processamento local, como para armazenamento.

O armazenamento em nuvem permite que os documentos da clínica e hospital sejam acessíveis em qualquer lugar desde que haja um dispositivo com acesso à internet.

Isso é fundamental para reduzir depósitos e arquivos físicos, mas também para potencializar os ganhos de mobilidade e flexibilidade da telerradiologia.

Equipamentos mais modernos

Uma evolução fundamental na saúde foi o surgimento da radiologia digital, promovendo melhorias de qualidade nos exames e também permitindo práticas como a própria telerradiologia.

O aprimoramento dos equipamentos radiológicos continua graças às novas pesquisas e a expectativa é que essas modernizações em aparelhos de raios-x, tomografia e ressonância magnética promovam transformações substanciais nas operações de departamentos radiológicos.

Inteligência artificial

A inteligência artificial (IA) já é uma realidade na área médica, mas seu uso tem sido aprimorado conforme novos estudos indicam potenciais de aplicação da tecnologia.

Na área da radiologia espera-se que a IA seja benéfica para melhorar a capacidade de análise dos exames, viabilizando diagnósticos precoces, mas também contribua em atividades operacionais e gerenciais, como elencando a ordem de prioridade de exames.

Portanto, a telerradiologia, apesar de consolidada no Brasil há mais de uma década, é uma prática em constante modernização e evolução indo de encontro às perspectivas emergentes na saúde.

VAMOS CONVERSAR?

[getparam utm_campaign]


×