Radiologista em destaque – Dr. Samuel Bergamaschi

 Em Radiologista em destaque

Telelaudo:Conte-nos um pouco sobre história. Por que medicina e por que radiologia?

Dr. Samuel Bergamaschi: Meu pai é radiologista e desde muito jovem acompanhei sua rotina, então nunca tive duvidas em relação a medicina. Durante a faculdade, apesar de gostar de outras especialidades, já sabia que queria ser radiologista. Me formei na UFSC e fiz residência em São Paulo. Optei por realizar a residência em São Paulo pois a cidade oferece muitas oportunidades de aprendizado, com grande volume de pacientes e interação entre os diversos serviços.

Telelaudo:Como conheceu e começou a trabalhar para a Telelaudo?

Dr. Samuel Bergamaschi: Conheci a Telelaudo por meio de um colega de residência. Tive interesse em participar da equipe da empresa logo de cara, ainda mais porque estava com planos de viajar para os Estados Unidos em busca de especialização na área e pelas regras do país não poderia exercer a profissão de radiologista por lá.

A Telerradiologia e a parceria com a Telelaudo me possibilitou estudar e trabalhar a distância. Sem esse trabalho teria que optar por um curso mais curto e voltar antes para o Brasil.

Telelaudo:Na sua opinião, qual a importância da telerradiologia para os pacientes e médicos solicitantes em um país com as dimensões e desafios como o Brasil?

Dr. Samuel Bergamaschi: Atelerradiologia é fundamental já que oferece laudos feitos por especialistas para locais do Brasil onde os pacientes não teriam acesso a esse tipo de serviço. Como o país é muito grande, o uso da telerradiologia permite que se ofereça serviços de qualidade por todo território nacional. Além disso, acredito que ter acesso à exames e pacientes de diferentes localidades, permite ao profissional crescer mais.

Telelaudo:Como foi conciliar seus estudos de especialização fora do país com a profissão? Trabalhar com a telerradiologia ajuda?

Dr. Samuel Bergamaschi: Eu comecei a trabalhar com laudos a distância ainda no Brasil e já conciliava bem a minha rotina. Sempre valorizei poder trabalhar de casa e ter horários flexíveis. Quando me mudei para os Estados Unidos a telerradiologia me ajudou ainda mais. Pude conciliar o meu plantão com as minhas aulas e é muito bom saber que você não está parado profissionalmente, tem um trabalho e uma verba que te ajuda com as despesas.

Tenho planos de ficar um ano neste curso de especialização e pretendo continuar em parceria com a Telelaudo.

Telelaudo:Na sua vida e rotina, trabalhar com telerradiologia  possibilitou quais outras conquistas?

Dr. Samuel Bergamaschi: Além da possibilidade de conseguir estudar fora do Brasil e continuar trabalhando, liberdade e flexibilidade foram as minhas maiores conquistas ao investir nessa área. Acredito que reduzir o deslocamento também esteja entre os pontos positivos de se trabalhar com a telerradiologia.

Telelaudo:Em sua experiência internacional, há algo que chama atenção de deveríamos investir, em termos de infraestrutura ou serviços, para aprimorar ainda mais a forma com que a radiologia é realizada no Brasil?

Dr. Samuel Bergamaschi: Em questão de infraestrutura e do workflow, acho que a Telelaudo/Pró-Laudo funciona muito bem.

Foto Dr. Samuel2

VAMOS CONVERSAR?

Artigos Recentes