USP desenvolve material que identifica com precisão radiação emitida na radioterapia, evitando danos às células sadias

 Em Destaques na Saúde

Pesquisadores da USP de Ribeirão Preto, São Paulo, desenvolveram um material capaz de identificar com precisão a intensidade de radiação emitida pelos equipamentos durante os tratamentos de radioterapia. O estudo, publicado em abrilna revistaScientific Reportsdo Grupo Nature, deve tornar o tratamento contra alguns tipos de câncer mais seguro e eficaz.

De acordo com o orientador da pesquisa, Osvaldo Baffa, atualmente já existem técnicas que ajudam os profissionais a calcular a quantidade de radiação emitida pelos equipamentos, de acordo com o tipo e a agressividade de câncer a ser combatido. Porém, muitas vezes os pacientes têm tecidos saudáveis afetados pelas ondas eletromagnéticas durante as sessões, justamente porque os técnicos não conseguem “regular” os aparelhos com tanta precisão.

Para o radioterapeuta Harley Francisco de Oliveira, professor da Faculdade de Medicina da USP, a invenção deve promover mais segurança ao tratamento radioterápico e qualidade de vida aos pacientes com câncer.

Fonte:Site SIS Saúde

Crédito de imagem:Site SIS Saúde

VAMOS CONVERSAR?