É possível tornar a radiologia ainda mais eficiente?

 Em Gestão, Radiologia

Tecnologias e novas soluções garantem aumento da eficiência na radiologia com ganhos para gestores, profissionais da saúde e pacientes

 

A radiologia, como outras áreas da saúde, passou por modernizações decorrentes da digitalização dos processos que resultaram em mais eficiência operacional.

A dúvida de muitos gestores é se o sistema de radiologia, que já é eficiente, pode ter melhorias que otimizem ainda mais os processos e resultados?

De fato, mesmo com as mudanças, ainda há gargalos operacionais que podem ser superados.

Quais são os principais gargalos operacionais na radiologia?

Os gargalos operacionais variam de instituição para instituição, afinal, eles sempre dependem de como o setor radiológico está estruturado em termos de ferramentas, processos e equipe.

Dessa forma, não é possível apontar universalmente quais seriam os gargalos operacionais na radiologia de uma clínica ou hospital sem uma investigação detalhada dos fluxos de atendimento do local.

Ainda assim, alguns desafios são comuns em diferentes instituições de saúde e conhecê-los ajuda os gestores a mapear se esses são aspectos limitantes na clínica ou hospital e como contorná-los.

Gestão de pessoas

Um problema recorrente nos departamentos radiológicos de clínicas e hospitais diz respeito à gestão de pessoas, o que inclui várias questões, como:

  • dificuldade para encontrar profissionais qualificados em determinadas regiões;
  • desafios na gestão de escalas;
  • dificuldade de conciliar a operação simultânea de diferentes equipamentos radiológicos;
  • pouca disponibilidade de profissionais, dificultando as operações em períodos noturnos, finais de semana e feriados;
  • sobrecarga da equipe quando um colega entra de férias.

Os problemas relacionados à gestão de pessoas resultam tanto na capacidade reduzida das operações na área radiológica como também na desmotivação da equipe devido à sobrecarga e escalas insatisfatórias.

Disponibilidade de profissionais especializados

Também associada à gestão de pessoas está a dificuldade para contratar radiologistas especializados, seja pela falta de disponibilidade de mão de obra local, como pela falta de demanda interna que justifique a contratação de um profissional especializado.

Por conta dessa falta, muitas clínicas e hospitais optam por disponibilizar exames mais genéricos e básicos, perdendo potencial de mercado por não contar com especialistas em seu quadro de colaboradores.

Falta de padronização

Padronização ajuda a tornar a radiologia mais eficiente

Apesar de o laudo estruturado ser uma tendência, não há uma regra quanto à padronização dos documentos médicos, o que compromete a eficiência da instituição e, por vezes, a experiência do paciente e do médico solicitante.

A padronização dos processos, que inclui o laudo, é fundamental para que haja mais agilidade na emissão do documento bem como maior facilidade na interpretação dos achados pelo médico solicitante.

Tempo de espera

Problemas operacionais e logísticos ampliam o tempo de espera do paciente para realizar o exame e receber o laudo radiológico.

Um exemplo é quando a clínica ou hospital conta apenas com um profissional para cuidar da demanda por laudos, sendo que as solicitações entram na fila e podem demorar dias ou semanas para serem atendidas.

Outra situação é quando a clínica não conta com um sistema digital e a retirada do laudo deve ser feita presencialmente pelo paciente, o que também eleva o tempo de espera e prejudica a experiência.

Um dos principais problemas nesse contexto é quando a instituição atende demandas urgentes, nas quais o laudo influencia diretamente o encaminhamento do paciente e pode determinar as chances do tratamento, como em caso de uma intervenção cirúrgica de emergência.

Como tornar a radiologia mais eficiente?

Considerando que a radiologia já vem passando, nos últimos anos, por transformações que a tornam mais eficiente, como a adoção da radiologia digital, ainda é possível otimizar as práticas do setor.

Modernização dos processos

Apesar de a área radiológica já ter passado por muitas modernizações, elas continuam disponíveis conforme novas tecnologias são desenvolvidas ou adequadas ao segmento médico.

Um exemplo são os sistemas de gestão unificada, no qual todas as práticas hospitalares são reunidas em uma única ferramenta para otimizar a operação.

No setor radiológico, mais especificamente, um exemplo é o telecomando para realização de exames de alta complexidade, como ressonância magnética e tomografia computadorizada, com operação dos equipamentos a distância.

Essa é uma alternativa para superar desafios relacionados à falta de profissionais qualificados localmente e colocar os equipamentos radiológicos para funcionar continuamente.

Treinamentos

Outra forma de superar os desafios mais comuns à eficiência no setor radiológico é contar com treinamentos periódicos da equipe com base em protocolos bem estabelecidos que reconheçam os gargalos operacionais da instituição.

Nesse sentido, é importante que os profissionais sejam aptos a operar as ferramentas disponíveis com agilidade e segurança, como o RIS (Sistema de Informação em Radiologia), PACS (Sistema de Comunicação e Arquivamento de Imagens) e ERP (Sistema integrado de gestão empresarial).

Os treinamentos devem ainda prever a qualificação para os serviços utilizados na otimização da radiologia, como o telecomando e a telerradiologia.

Por fim, é importante que haja treinamento em relação aos protocolos de atendimento, como para fazer a triagem dos pacientes, informar sobre retirada de exames, orientar acompanhantes e outros.

Telerradiologia

A telerradiologia também é uma opção para aumentar a eficiência na radiologia, uma vez que contribui na superação de desafios relacionados à gestão de pessoas, tanto para instituições com dificuldade para encontrar mão de obra local como para aquelas com demandas relacionadas à gestão da equipe em plantões, finais de semana e férias dos radiologistas.

Na telerradiologia, radiologistas externos contribuem com a equipe interna no atendimento das solicitações, sendo particularmente relevante para casos urgentes e também para atendimento de demandas especializadas.

A eficiência na radiologia, portanto, pode ser aprimorada conforme os gestores identificam os gargalos da operação atual e buscam soluções modernas para superá-los.

VAMOS CONVERSAR?

    [getparam utm_campaign]


    ×